O verão é a estação preferida de muitas pessoas, entretanto, nessa época do ano os dermatologistas costumam ouvir queixas frequentes de seus pacientes sobre o aparecimento de manchas na pele e a mais comum delas é o Melasma. 

Na matéria de hoje explicaremos mais sobre a doença e como evitá-la no período mais quente do ano. Confira a seguir!  

O que é Melasma?

A doença se caracteriza pelo surgimento de manchas escuras na pele, que tendem a aparecer no rosto, mas que também podem surgir nos braços, colos e outras áreas expostas ao sol. 

Ele, o melasma, é um dos problemas mais comuns entre mulheres de idade fértil (25 a 50 anos), porém pode se desenvolver em homens. 

Principais causas

A origem do melasma é desconhecida, entretanto, sua causa tem relação com fatores hormonais, estéticos e medicamentosos – podendo também ser desencadeado através da luz solar, por exemplo. 

Sendo assim, no verão, é preciso dobrar os cuidados, já que a incidência de raios solares aumenta e, se não houver proteção, é muito provável que as manchas aumentem e se intensifiquem.  

Sintomas de Melasma 

O principal sintoma do melasma é a aparição de manchas escuras em áreas da pele mais expostas ao sol, na maioria das vezes no rosto. O tom de pele da pessoa é quem determinará as cores da manchas – o formato é irregular e, na maioria das vezes, iguais dos dois lados do rosto – simetricamente. 

Tratamentos

A principal dica é usar protetor solar, tanto na praia quanto na cidade; já, nos dias com menos sol, é indicado optar por filtro solar de 30 FPS, dependendo da pele; mas, em casos de exposição extrema aos raios solares, o apropriado é utilizar filtro de FPS 70.

Apostar em roupas com proteção UV, bonés e chapéus também são boas opções.

Melasma tem cura?

Infelizmente, a doença não tem cura, já que se trata de uma alteração crônica de hiperpigmentação em determinadas áreas da pele, porém pode ser controlado quando bem cuidado. Existem tratamentos com peeling superficiais ou laser e cremes clareadores que suavizam as marcas deixadas pelo melasma. 

É importante sempre consultar um profissional dermatologista para que seu caso seja analisado e o melhor método de tratamento seja indicado.